domingo, 14 de fevereiro de 2010

Os irmãos Karamazov

Esse livro é excelente. Tenho uma edição, mas estou pensando seriamente em adquirir o lançamento da editora 34. Loucura, né?
O motivo: a tradução, feita diretamente do russo por Paulo Bezerra, ganhou 3 prêmios:
* APCA 2008 - melhor tradução
* Academia Brasileira de Letras 2009 - Tradução
* Jabuti 2009 (3º lugar) - Tradução
Todos os livros que tenho da Editora 34 têm qualidade excelente. E a tradução, primorosa, faz valer a pena o investimento.

Mais dados:
2008 - 1ª edição;
2009 - 2ª edição (Acordo Ortográfico)
Autor Fiódor Dostoiévski
Tradução de Paulo Bezerra
Ilustrações de Ulysses Bôscolo
Posfácio e notas do tradutor
Dois volumes acondicionados em luva
1040 p. - 16 x 23 cm
ISBN 978-85-7326-409-8
Resenha - fonte: www.editora34.com.br
Último romance de Dostoiévski, Os irmãos Karamázov representa uma síntese de toda sua produção e é tido por muitos como sua obra-prima. Um marco da literatura universal, influenciou pensadores como Nietzsche e Freud, que o considerava "o maior romance já escrito" — e sucessivas gerações de escritores em todo o mundo.
Um livro ao mesmo tempo filosófico e policial, que trata da conturbada relação entre o devasso Fiódor Karamázov e seus três filhos: Aliócha, "puro" e místico; Ivan, intelectual e atormentado; e Dmitri, orgulhoso e apaixonado.
Com mão de mestre, Dostoiévski conduz o leitor numa viagem única pelos recantos mais sombrios e luminosos da alma humana e, com uma trama hipnotizante, consegue prender nossa atenção ao longo das centenas de páginas do volume — agora traduzido diretamente do russo por Paulo Bezerra.


E já estou pensando em comprar, do mesmo autor, "Gente Pobre".
Informações também da Editora 34:
Tradução de Fátima Bianchi
Posfácio e notas da tradutora
Coleção Leste
192 p. - 14 x 21 cm
ISBN 978-85-7326-433-3
2009 - 1ª edição (Acordo Ortográfico)
Primeiro romance de Dostoiévski, Gente pobre (1846) não é apenas um prenúncio do que o autor de Crime e castigo faria no futuro. Nele já se encontra um escritor com domínio pleno do seu ofício, a ponto de Bielínski, principal crítico da época, ver na obra "mistérios e caracteres da Rússia com os quais ninguém até então havia sequer sonhado" e "a primeira tentativa de se fazer um romance social" no país.
Partindo das experiências de Púchkin, em "O chefe da estação", e Gógol, em "O capote", que deram ao homem comum uma nova roupagem literária, Dostoiévski criou uma narrativa epistolar que subverteu o gênero por completo e foi imediatamente aclamada pelo público, fazendo de seu autor, praticamente da noite para o dia, um escritor consagrado.
Pela troca de cartas entre Makar Diévuchkin, funcionário menor de uma repartição pública de Petersburgo, e sua vizinha Varvara Alieksiêievna, uma jovem órfã injustiçada, o leitor acompanha de perto as pequenas alegrias e os constantes sofrimentos dos dois personagens. Com seu talento fora do comum, Dostoiévski explora a fundo as variações de tom e tratamento, de saltos e encadeamentos na ação, para dar voz a um universo comovente de afetos e valores, que a tradução de Fátima Bianchi soube tão bem captar.


Acabei de descobrir que é possível comprar direto no site da editora. O preço é o mesmo da Saraiva e o frete é grátis. Oba! Eu sempre descubro uma nova maneira de comprar livros:)
E tem mais: alguns livros estão disponíveis para pré-leitura, com reduzido número de páginas, claro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um recado, opinião ou sugestão, suas palavras são muito bem-vindas! Eu leio tudo! Prefiro responder por email, pois é mais rápido. Siga-me também pelo Facebook. Volte sempre!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Posts mais recentes: