sábado, 17 de abril de 2010

Taquara - RS


Hoje é o aniversário do município de Taquara.
Como vocês sabem - ou não - eu nasci em Porto Alegre, onde morei até os 6 anos de idade. Depois me mudei para Gravataí e há 4 anos e pouco vim trabalhar em Taquara. Para encurtar a distância entre Gravataí-Taquara - imaginem rodar quase 2h por dia entre um local e outro - e também porque necessitava de um local mais tranquilo, próximo à natureza, resolvi comprar uma casinha em Taquara. Isso já faz 4 anos e, parece que para comemorar, a minha mãe comprou mais uma, ao lado da minha, e agora é minha vizinha. Nos apaixonamos pelo local e fincamos pé! E fomos, todos, muito bem recebidos.
O que era para ser uma casa mais próxima ao trabalho, onde eu apenas permaneceria durante a semana, acabou sendo, até o momento, a minha principal residência. Aqui convivo com a natureza, tenho um jardim enorme, meu casal de gansos, muita tranquilidade. É claro que fica um pouco longe do centro do município - uns 15 minutos de carro. O local ideal para mim.
Pois hoje o município completa 124 anos de emancipação.
E eu não poderia deixar de homenageá-lo, de alguma forma.

Um pouco de história (fonte: wikipedia)
Taquara é um município de colonização predominantemente germânica (alemã). A emancipação de Taquara sucedeu em 17 de abril de 1886 com o nome de Taquara do Mundo Novo.

O território de Taquara fez parte da sesmaria concedida em 1814 a Antônio Borges de Almeida Leães, que em 20 de junho de 1845 vendeu a Tristão José Monteiro e Jorge Eggers. No ano seguinte, em 4 de setembro de 1846, o território passou a ser propriedade exclusiva de Tristão Monteiro, quando iniciou-se o processo de colonização.

Em 7 de setembro de 1846, chegaram os primeiros imigrantes alemães que deram início à Colônia de Santa Maria do Mundo Novo:

Família Ritter
Família Lahm
Família Schirmer
Família Krummenauer
Família Klein
Família Raimundo (Italiana)
Em 24 de setembro de 1880, foi instalada a 1º Comarca de Taquara. O município surgiu com a Lei Provincial nº 1568, de 17 de abril de 1886. Mais tarde, através do Decreto Estadual nº 1404 de 10 de dezembro de 1908, a vila de Taquara recebeu o título de cidade.

Taquara tem seu nome proveniente da cerrada vegetação de bambus silvestres (taquarais) que na época de sua colonização cobria as margens do Rio dos Sinos, um dos cursos d´água que banha a cidade e abriga em seu território, atividades que surgiram a partir dos empreendimentos familiares dos imigrantes, em grande parte de origem germânica, ligados em sua maioria aos setores industrial e comercial que detém um elevado percentual da economia de Taquara.

Por se situar próximo a cidades com forte fluxo turístico, como Gramado e Canela, o município também apresenta um grande potencial nesta área.

A história de Taquara se encontra também nos prédios antigos, como a sede da CICS-VP e o Clube Comercial, que são exemplos da beleza arquitetônica encontrada em muitos prédios situados na área central da cidade, destaca-se ainda o Palácio Municipal Coronel Diniz Martins Rangel de construção neoclássica que data do início do século passado, além dos templos das Igrejas Católica e Protestante que estão situados frente a frente na rua principal da cidade.

No interior ainda existem exemplos de edificações na técnica do enxaimel, trazida pelos imigrantes alemães. Outro cartão postal são os templos das Igrejas Católica e Evangélica, construídos frente a frente na principal rua da cidade e as construções no estilo enxaimel encontradas no interior do município, que encantam os visitantes. Na localidade de Morro da Pedra, no interior do município, está situada a Vila Naturista Colina do Sol, a segunda maior área do Brasil para a prática desta filosofia de vida.

No incentivo às práticas esportivas, o município conta com o Parque do Trabalhador, que ocupa uma área arborizada de 4 hectares, localizado no centro da cidade. O parque oferece à população um ginásio de esportes, uma quadra para a prática de futebol de areia, duas quadras de vôlei, um campo de futebol onze, vestuários e instalações sanitárias, playground e academia de ginástica ao ar livre, possuindo ainda um lago artificial que serve de moradia aos patos, cisnes e gansos. Diariamente cem pessoas usufruem o parque, aumentando o número de visitantes para 500 aos finais de semana.

Entre os principais eventos realizados em Taquara, dois merecem citação especial: a Ciranda Musical Teuto-Riograndense, festival de música que ocorre a cada dois anos, e a Expocampo, exposição agropecuária que acontece anualmente no mês de abril por ocasião dos festejos de aniversário da cidade, considerado um dos eventos mais importantes do estado.

Para ver os atrativos culturais, clique aqui.

Para ver mais fotos, vá até esse scrapbook muito legal. Foi nele que achei as fotos inseridas neste post.

3 comentários:

  1. Que bonita homenagem à minha cidade, agora sua também!!!

    ResponderExcluir
  2. vou la no scrapbook ver as fotos!
    patthy, ma quando precisam de medicos, por exemplo, voces vao a porto alegre? ou taquara tem recursos? pergunto isso para alimentar meu sonho de mudar de ribeirao preto (600 mil hab) para poços de caldas (250 mil).

    ResponderExcluir
  3. fui ver as fotos.....eu moraria nas casas das fotos 14, 32 e 59!!! voce conhece os donos?

    ResponderExcluir

Deixe um recado, opinião ou sugestão, suas palavras são muito bem-vindas! Eu leio tudo! Prefiro responder por email, pois é mais rápido. Siga-me também pelo Facebook. Volte sempre!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Posts mais recentes: