domingo, 20 de março de 2011

DIA 02: TOLEDO + MONASTÉRIO DE EL ESCORIAL

 Oliveiras na rota Madri-Toledo



Uma informação importante que eu não forneci ontem: as tomadas na Espanha são iguais às de Portugal. Um adaptador universal de tomadas ou um comprado em Portugal (no caso, tenho os dois) funciona. 


Outra coisa que esqueci de comentar ontem foi o clima. Estamos no final do inverno, início da primavera. Trouxe apenas roupas adequadas para a primavera/verão na bagagem. De manhã faz frio, uns 11 ou 2 graus, por volta do meio-dia começa a esquentar e à tarde ficamos entre 18 e 22 graus. Para mim, faz calor, é praticamente verão - caminhando no sol, como hoje, é verão mesmo. Mas os brasileiros que estão por aqui e que moram no Nordeste estão sofrendo com o frio. Vi pessoas enroladas em cachecóis, usando luvas e gorros de lã, enroladas em diversos casacos. E eu, de camiseta e bermuda! É muito engraçado, mas para mim, juro que está quente!


Vamos ao dia de hoje. A saída para Toledo estava marcada para 8h15min, mas o ônibus saiu às 8h45min - um atraso de meia hora, porque algumas pessoas se atrasaram. Isso é irritante, eu poderia ter dormido 20 minutos a mais!!! 


Algo que não havia me dado conta na estrada Madri-Toledo: a falta da poluição visual! Só quando o guia falou que é proibido colocar anúncios na rodovia é que caiu a ficha. Ah, é ótimo seguir uma estrada sem uma porção de outdoors atrapalhando a paisagem. O Brasil poderia entrar nessa onda!


Chegando em Toledo, fomos visitar uma fábrica de joias fabricadas no estilo de Damasco: as joias são feitas em aço e ouro 24 quilates. Eu adoro essas joias, por isso comprei um brinco e dois aneis. Detalhe: fiz a compra em Toledo, pois nessa fábrica é tudo mais caro. Bem mais caro. Essa foto peguei na internet:






Toledo também é uma cidade ótima para se comprar espadas (uma grande custa 20 euros), armaduras, adagas, tudo o que for medieval. Uma pessoa do nosso grupo comprou uma espada em tamanho normal, queria ver ele levar para casa. Eu sempre compro as miniaturas, que servem como abridor de cartas. 







Ao sair da fábrica de joias, sofremos um atraso de 40 minutos, pois o pessoal resolveu fazer compras ali mesmo. Como eu disse antes, eu não comprei nada ali, pois sabia que em Toledo há diversas lojas. O problema é que o guia não avisa ao pessoal que haverá opção de compras mais tarde. 






Resultado do atraso: chegamos na parte histórica de Toledo às 11h e, depois de penar muito para subir até a catedral, descobrimos que ela fecha às 11 horas e só reabre às 13h. Ah, droga!




Da parte baixa de Toledo até a parte histórica, fomos de escadas rolantes: a minha mãe parou de contar na sexta, eu calculo que sejam 8 escadas no total. Se tivéssemos que subir a pé, não ia dar. 


Tirei muitas fotos legais em Toledo, mas vocês vão ter que olhar o álbum, não vou poder postar todas aqui.


Toledo fica na região onde viveu Miguel de Cervantes, por isso há muita coisa relacionada ao famoso Dom Quixote de la Mancha. 


À tarde, após muita desorganização para acomodar todos os turistas nos ônibus corretos, fomos ao Monastério de El Escorial, na cidade de São Lourenço. No caminho, demos de cara com montanhas cobertas de neve. Eu não sabia que havia neve e estações de esqui bem pertinho de madri: é a serra da Guadarrama, com picos de até 2.100 metros de altitude. 






Também vimos, no caminho, a cruz que o Franco mandou instalar como homenagem às vítimas da guerra civil espanhola. Ele próprio está sepultado junto à Cruz, encravada numa rocha. O cemitério é conhecido como Valle de los Caídos.






Finalmente no Monastério de El Escorial, uma surpresa: não é permitido entrar com bolsas grandes, mochilas, malas, etc. Há um detector de metais e esteira para verificação dos pertences, igual como nos aeroportos. Não é possível tirar fotos, por isso comprei um livro ilustrado. Vou ter que fazer um post com fotos das minhas compras!






O tour pelo Monastério durou mais de duas horas. E foi muito corrido. O local é enorme, está super bem preservado, tem mais de 400 anos. Lá estão sepultados todos os reis da Espanha nos últimos 500 anos (com exceção de um e outro, segundo o guia). Sim, visitamos os túmulos, eles ficam no subsolo. Como não pude tirar foto, peguei uma na internet:








O monastério é todo construído em pedra, material proveniente da região, que é cercado por uma cadeia de montanhas de granito. O mármore também é local. O monatério é imenso, nem tentei fotografar por inteiro. Peguei essa fotinho na internet, para quebrar o galho.






Chegamos ao hotel antes das 20h, completamente exaustas. 
Não deixem de ver o álbum com as fotos de hoje clicando aqui.


Ah, o rio que banha Toledo é o Tejo, aquele mesmo de Portugal, só que aqui se chama Tajo.


Já aproveito para responder à Teresa e à Luciana: Madri mudou muito nesses últimos anos e achei Toledo diferente, com muitos bares e restaurantes modernos. Vale a pena visitar de novo!
Amanhã saímos cedinho para León, vou parar por aqui, pois estou dormindo em pé, ou melhor, sentada. 


Até amanhã!



Um comentário:

  1. Oi,Paty!
    Que bom rever Toledo novamente...É como eu disse ontem,uma cidade muito antiga e de muitas estórias!
    Imagino mesmo que muitas novidades tenham sido incorporadas à cidade. Mesmo as cidades muito antigas,mas com muito movimento turístico, passam por mudanças...Como dizem os franceses "C'est la vie"! Espero que a atmosfera antiga e mágica da velha Toledo tenha sido preservada...
    Obrigada,querida Paty, por nos trazer estas belas imagens e nos proporcionar essa pequena,mas encantadora, "viagem virtual"!
    Bom passeio pra vocês!!!
    Teresa

    ResponderExcluir

Deixe um recado, opinião ou sugestão, suas palavras são muito bem-vindas! Eu leio tudo! Prefiro responder por email, pois é mais rápido. Siga-me também pelo Facebook. Volte sempre!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Posts mais recentes: