quarta-feira, 30 de março de 2011

DIA 11: GRANADA - PRIEGO - CÓRDOBA - CARMONA – SEVILHA

Este post diz respeito ao dia 29.

O dia começou mal. Paramos em Priego, local onde há coisas interessantes para ver. Mas estava chovendo, o calçamento é escorregadio e o ônibus não pode transitar na cidade, por isso nos deixou no meio do nada. Eu encontrei uma perfumaria para me divertir e comprar artigos de primeira necessidade: lixas e cortador de unhas, esmaltes. O problema maior é que fecharam uma estrada e o ônibus teve que pegar uma rota alternativa, segundo o guia, um caminho de cabras, fazendo um desvio de 50 km no total. Resumo da ópera: ficamos esperando pelo ônibus por mais de 40 minutos, sem fazer nada, sentados num muro de pedra, frio e duro. E os mexicanos começaram a cantar no meio da rua. Sorte que parou de chover.


A segunda parada foi em Luque, num lugar definitivamente no meio do nada, para que o pessoal prove pão com azeite de oliva e faça compras. Tem gente comprando azeite em garrafas de vidro, o que me faz pensar que seria uma boa idéia plastificar as malas para voltar ao Brasil. Imaginem se todo esse azeite explode no avião... argh! Bom, a parada é de 40 minutos e estou aproveitando para escrever, assim não morro de tédio. Vejam as fotos:



Parada em Córdoba para almoçar e visitar a Grande Mesquita.
Essa valeu a pena, porém foi muito pouco tempo. Córdoba é o tipo de cidade que requer uns três dias para ser visitada. Almoçamos no Burger King – sim, enfim consegui carne!






Essa é minha foto favorita: arcanjo Rafael.


Mais uma paradinha, dessa vez em Carmona, cidade que existe desde a época do Império Romano. Fotos da porta de Sevilha, lindíssima.



À noite, chegamos em Sevilha. Vocês já passaram por essa situação ou só acontece comigo? Peguei a chave e subi até o 7° andar, pois o quarto é o 701. Ao chegar no 7° andar, cadê o quarto??? Fui e voltei várias vezes pelo corredor e nada. Desci até a recepção e perguntei onde era o quarto. A moça respondeu que no fim do corredor havia uma porta – enfim, para encurtar a história, a tal porta é do quarto 703. Os quartos 701 e 702 ficam dentro do suposto 703, que não existe. Eu por acaso sou adivinha?
Os quartos aqui são todos iguais: uma cama de casal e um sofá. Não sou só eu que estou reclamando, todo mundo está com a paciência no limite. Enfim, não recomendo o hotel: Novotel Sevilla. 

Quem quiser ver todas as fotos, clique aqui. Há fotos de paisagens e de castelos e fortalezas que se avistam da estrada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um recado, opinião ou sugestão, suas palavras são muito bem-vindas! Eu leio tudo! Prefiro responder por email, pois é mais rápido. Siga-me também pelo Facebook. Volte sempre!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Posts mais recentes: