quarta-feira, 15 de junho de 2011

Livros da última Semana

Não falei mais em livros, né? Eu li muito na semana passada, a meta é absurda, quero ler tudo o que tenho em casa, reler alguns antigos e ainda comprar uns 70, que é o que tem por enquanto na lista.  Absurdo mesmo, né?
Pior é que eu vejo alguém com um livro na mão e fico de olho: "esse eu não li ainda, hum, que delícia, tá cheirando a novo!".
Então vamos aos mais recentes.




Esse é bom, gente! Juro que quando o policial disse: "eu jamais imaginaria que o assassino era"... eu respondi: "Eu não acredito!" (quando eu falo com livros, é bom sinal). Havia 4 colegas da protagonista que poderiam ser o assassino, todos se encaixavam, mas não consegui descobrir antes do policial. Um deles eu não queria que fosse o assassino, o outro não poderia ser de jeito nenhum, e esse que se revelou culpado, de jeito nenhum eu desconfiei dele! Uma noite de sono perdida, como vocês podem imaginar.


Sinopse: 
Num reencontro de velhos colegas da turma, vinte anos após a formatura, as amigas mais próximas de Jean Sheridan começam a ser assassinadas e todos indícios apontam para um velho companheiro. 




Muito, muito bom! Todos esses livros, vocês sabem, eu obtive mediante trocas, e olhem a qualidade! Palmas para os usuários do Skoob! 
O único problema é que é o primeiro volume de uma saga, agora vou correr atrás dos outros volumes. Afe, eu havia prometido não entrar mais nessas. Tudo bem. O ponto positivo é que esse volume é independente, você pode lê-lo e pronto, esquecer de ler o restante. Você pode, eu não posso! Até poderia, se eu fosse mais normalzinha....



Sinopse - O Portal do Corvo - O Poder dos Cinco, vol. 1 - Anthony Horowitz

Depois de ir preso e ser obrigado a integrar um projeto de recuperação para menores infratores, Matt vai morar em Yorkshire, na Inglaterra. Lá, ele descobre um terrível segredo: adoradores do mal querem trazer de volta ao mundo demônios banidos, no passado, por cinco crianças. Matt tentará detê-los, mas está sozinho nesta aventura - todos os que tentam ajudá-lo acabam mortos.



Adoro pocket books. Eu provavelmente já disse isso. Eu deveria mandar fazer uma camiseta com essa frase. Eu até faria, se eu usasse camisetas. Os pocket da Martin Claret são baratos e a variedade é enorme. Só poderiam caprichar mais nas capas, as pinturas são um horror.... argh... Se a capa fosse sem gravura, seria melhor. O bom é que cabem na bolsa! Esse aí eu comecei a ler no consultório médico. Um conselho: não leiam a introdução. Eu li até um pedaço, pois tenho mania de ler. É tempo perdido, é entediante, dá sono, não tem nada a ver com o romance. Vão direto ao livro. Sério! O livro é bom, mas arranquem fora a introdução para evitar a tentação.


Sinopse - A Letra Escarlate - Nathaniel Hawthorne

A ficção de Nathaniel Hawthorne, cuja sólida construção estilística fez dele o primeiro grande romancista dos Estados Unidos, apresenta os dilemas de personagens que, cerceados por uma sociedade puritana, buscam o direito à liberdade afetiva. Hawthorne desce aos segredos do subconsciente reprimido, à tensão dos impulsos contraditórios, à angústia que transita da inocência à perversidade. É um moralista da ambigüidade, estilista que se expõe em recortes autobiográficos profundos. Sua obra-prima, A Letra Escarlate (1850), é um romance histórico, ambientado nos Estados Unidos do século XVII. O romance foi transposto para o cinema, obtendo grande sucesso de público e de crítica.



A sinopse que eu peguei do Skoob, como as demais, é tão grande, que estou pensando em nem escrever nada. Hum, bom, já escrevi. O livro é muito bom, não tanto pelo enredo, mas porque se passa no pantanal. Eu não conheço a região e adorei. 


Como? Espantados? Não, não conheço. E morro de medo dos mosquitos! Depois que li o livro, piorou! Eu sou um alvo vivo para os mosquitos, se vocês querem se livrar deles, é só me chamar! Eles me veem e zuuum, vêm direto para mim. Eu deveria até me patentear como isca viva! E vocês sabem que os mosquitos não são mais os mesmos de antigamente, eles agora resistem ao frio. Um absurdo, devem estar usando casaquinhos. Hoje mesmo matei uns 3, em plena luz do dia. Um queria me morder na testa, era o único trecho de pele disponível para pouso. Vou dizer o motivo do pânico: é que o protagonista contrai dengue. Eu fico pensando no protagonista, nos mosquitos, na Ana Cristina... Acho que o Pantanal não combina muito comigo:(


Sinopse - O Testamento - John Grisham
Pantanal mato-grossense é cenário na trama do escritor americano. O que você faria se fosse herdeiro de onze bilhões de dólares? Uma boa pergunta que tem uma eletrizante resposta em O Testamento, o novo romance de John Grisham. O autor desenvolve a história da família Phelan : do patriarca, Troy Phelan, a seus estranhos herdeiros. Depois de escrever seu último testamento, o bilionário se suicida, iniciando uma batalha onde faltam alcatéias de advogados, repórteres e uma família destroçada pela ambição e pelo dinheiro. No centro da trama está Nate O Riley, advogado, alcoólatra, que tem de mergulhar em outra selva, o pantanal Mato-grossense, e encontrar o verdadeiro destino da fortuna de Troy Phelan. Contraponto genialmente os canyons de concreto das grandes cidades aos alagados do rio Paraguai, John Grisham nos leva a dois mundos diferentes, cada qual com seus perigos e belezas. Mais do que uma história feita de artimanhas jurídicas e bizarros personagens, O testamento é uma trajetória de um homem em busca de valores mais permanentes do que a embriaguez do poder. John Grisham escreveu este romance após uma longa estada no Pantanal Mato-grossense, quando esteve em contato com missionários religiosos americanos e com a vida selvagem daquela região. "Espero não ter descrito o Pantanal como um enorme pântano repleto de perigos. Não é. É uma preciosidade ecológica que atrai muitos turistas e todos sobrevivem" escreveu Grisham. Além dos incríveis panoramas da vida natural que desenha em seu livro, o escritor retrata, com muito humor, aspectos típicos da vida do brasileiro. No capítulo 38, por exemplo, ele explica o que é o despachante: "É parte essencial da vida no Brasil. É o homem que facilita tudo. Num País onde a burocracia é antiquada e lenta, o despachante é o homem que conhece os funcionários da prefeitura, dos tribunais, os agentes da alfândega". O Brasil também esteve presente em outros de seus livros, como O Sócio, no qual um americano tenta fugir de seus perseguidores em Ponta Porã.


E vocês? Têm lido algo de bom? De ruim? 


4 comentários:

  1. ja tive epoca que lia muito, hoje confesso vergonhosamente que dou prioridade a outras tarefas, mas leio o jornal ja ta bom nao ta??? patty, o selo ta aqui
    http://anacristinap.blogspot.com/p/blog-page_06.html

    ResponderExcluir
  2. Ei Patty,

    Adorei seus comentários e fiquei doida para ler os 2 primeiros. Do Grisham eu tenho uns 4 na fila e ainda não li nenhum rs.

    P.S: Ri muito do seu comentário, eu já fiquei anti-social tem muito tempo kkk.

    bjo
    Nanda

    ResponderExcluir
  3. Fiquei curiosa com o 1º livro, já anotei!
    Já li A letra escarlate e gostei do livro.Tem o filme, é com Gary Oldman e Demi Moore,muito bom.
    Bitocas

    ResponderExcluir
  4. O-ba! Estava precisando de uma dica de um livro para a viagem para NY (Levar minha filha que tb tem um blog, o Confissões de uma Doceira Aamdora - ela vai estudar patisserie). Gosto da Mary Higgins Clark e ela combina perfeitamente com avião e noites em camas novas - mal-dormidas, no meu caso!
    BJô

    ResponderExcluir

Deixe um recado, opinião ou sugestão, suas palavras são muito bem-vindas! Eu leio tudo! Prefiro responder por email, pois é mais rápido. Siga-me também pelo Facebook. Volte sempre!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Posts mais recentes: