terça-feira, 30 de agosto de 2011

Crônica de Uma Morte Anunciada


Desde o título, desde a primeira frase, o leitor sabe que Santiago Nasar vai morrer. É inevitável. Mas o que o autor nos conta é que a morte de Santiago Nasar não era inevitável. Recomendo muito!

p. 116:
Não só eu. Tudo continuou cheirando a Santiago Nasar naquele dia. Os irmãos Vicário sentiram isso no calabouço onde o prefeito os encerrou enquanto pensava no que fazer com eles. “Por mais que me esfregasse com sabonete e esfregão não conseguia tirar aquele cheiro de mim”, disse-me Pedro Vicário. Estavam há três noites sem dormir, mas não podiam descansar, porque tão logo começavam a dormir voltavam a cometer o crime. Já quase velho, tentando explicar-me o seu estado naquele dia interminável, Pablo Vicário disse-me sem nenhum esforço: “Era como estar acordado duas vezes.” Essa frase me fez pensar que o mais insuportável para eles no calabouço deve ter sido a lucidez.

3 comentários:

  1. vou voltar pro calabouço da tarde!
    bjo bjo

    ResponderExcluir
  2. Oi Patty,tudo bem?
    passei pra conferir as novidades e como sempre vc muito cultural.
    Amei a dica.

    Beijos
    http://ursulinodecor.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Adoro esse autor, esse livro em especial ainda não li, mas já coloquei na lista.

    Muita luz e paz
    Abraços

    ResponderExcluir

Deixe um recado, opinião ou sugestão, suas palavras são muito bem-vindas! Eu leio tudo! Prefiro responder por email, pois é mais rápido. Siga-me também pelo Facebook. Volte sempre!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Posts mais recentes: