terça-feira, 24 de setembro de 2013

Dia 03: Viena

Enquanto escrevo para vocês, é tarde da noite. O fuso horário é de 5 horas de diferença. Por isso estou sempre cansada e caindo de sono, enquanto vocês estão ávidas por novidades.
Bem, mas prefiro escrever enquanto a memória está fresca.
Hoje vi tantas coisas lindas que ao chegar ao hotel já não me lembrava da metade das coisas. Viena é uma cidade enlouquecedora. Eu só ouvia o pessoal de trás gemendo enquanto fazíamos o city tour. Dá vontade de embrulhar e levar pra casa. Ou ficar por aqui mesmo.
Nessas horas a gente pensa: por que eu não nasci em um país assim? Em que os carros param na faixa de segurança, as avenidas são largas, há meios de transportes suficientes, silenciosos e limpos (bondes, trans, etc - não vi nenhum ônibus fedorento ou barulhento), a cidade é limpa, a educação é pública e o salário mínimo é alto. Será que a cegonha não poderia ter errado o lugar e me deixado cair por aqui? 

Ao contrário de ontem, hoje tirei muitas fotos. Fizemos um city tour de ônibus de mais de 2 horas de duração. Vou mostrar as que acho que são as principais. Vamos lá.


Edificio da Secessão
A Secessão Vienense foi um movimento liderado por Gustav Klimt e desejava romper com o tradicional. Os artistas modernistas queriam a separação radical da tradição acadêmica.

A secessão austríaca (1897-1920), ou secessão de Viena foi uma iniciativa de protesto de artistas da época contra as normas tradicionais, artísticas e étnicas, da sociedade atávica e transitória da época. Era uma tentativa de se encontrar uma identidade de grupo para o país.
Em 1897, um grupo de jovens artistas uniu-se contra a tradicional associação conservadora Künstlerhaus. Alguns chamam essa insurgência como uma “revolta edipiana” psicologicamente motivada, insurreição de filhos contra pais e a tradição destes.
Foi apenas em 1897 que a Secessão se formou, após numerosos tumultos, na Cooperativa dos Artistas das Artes Decorativas da Áustria.
O estatuto da associação publicada no primeiro número da sua revista “Ver Sacrum” resume os objetivos pretendidos, tal como luta pelos interesses artísticos e fomento do sentido artístico na Áustria.
A Secessão de Viena se divide em 2 partes: antes e pós-1900, onde antes tinhamos um forte caráter Art Nouveau e como artista Gustav Klimt, e depois temos com Koloman Moser uma arte mais simétrica, formas geometrizadas e fontes(tipos) mais simples.
Ópera



Acho que é o Senado, mas não tenho certeza.

Essa é a prefeitura - é mole?

Igreja de São Francisco de Assis


A Wiener Riesenrad é um exemplo de sobrevivência de rodas-gigantes do século XIX e está em operação até hoje. Erguida em 1897 no parque Prater, na zona Leopoldstadt de Viena, na Áustria, tem uma altura de 64,75 metros. Após a demolição dos 100 metros da Grande Roue de Paris em 1920, a Riesenrad tornou-se a mais alta roda-gigante existente do mundo da roda. Em 1944 ela sofreu um incêndio, mas foi reconstruída no ano seguinte, e permaneceu como a mais alta roda-gigante existente, até a construção dos 85 metros da Technocosmos para a Expo 85, em Tsukuba, Ibaraki, Japão.
Palácio Belvedere



3 fotos abaixo, no palácio de Schönbrunn.





A partir do meio-dia, tivemos o dia livre. Almoçamos, fizemos umas comprinhas e fomos de taxi para o hotel. Atenção: já estou fazendo as compras de natal, então comportem-se!

Às 19h, o ônibus nos levou para o bairro de Grinzing, para jantar e degustar vinhos. Na minha cabeça, o passeio seria bem mais interessante. Pensei que seria um bairro boêmio, mas é um bairro residencial com alguns restaurantes perdidos, um aqui, outro lá, você tem que procurar muito até encontrar algum. 
Acabamos escolhendo um que estava bem à vista - literalmente - no meio da avenida. Um restaurante italiano. Pedi uma tábua de queijos de antepasto, um espaguete com molho bolonhesa para a Mama e um frango com arroz e mais algumas coisas para mim. Bem, os títulos são em italiano, mas a descrição do prato é em alemão e eu pensei "essa outra coisa não deve ser ruim". Nem me passou pela cabeça que poderia ser espinafre. 




Sorte que veio muito frango e a Mama não deu conta do espaguete. Pois convenhamos, esse espinafre parecia o vômito do chef. Blargh! 

Provamos o vinho verde do qual a guia não parava de falar. Nada demais. Qualquer vinho da serra gaúcha é melhor, até aqueles feitos em casa. 
Ah, e um detalhe. Segundo a guia, os austríacos tomam o vinho novo, que tem menos de um ano, misturado com água. Blargh de novo! 

Amanhã saímos cedinho em direção à Polônia. Bis morgen!!!

p.s. álbum de hoje está aqui.


7 comentários:

  1. Ainda bem que dei uma passadinha aqui antes de desligar o computador. Fotos novos, êeeeee!!!! Quanto à foto do Senado, sim, deve ser o Senado, pois o Banner na frente fala de eleições. Quanto à me comportar, estou suuuuperrrr comportada, viu Mamãe Noel??? ;) Liiinda cidade! Um dia ainda chego lá! Bjo

    ResponderExcluir
  2. Lindo! Vou anotando no caderninho de desejos, quem sabe um dia passo por aí rs... Bjs

    ResponderExcluir
  3. srsrrs vinho novo é suco de uva rsrs quero morar nessa viena...vou ver o album, bjo bjo

    ResponderExcluir
  4. srsrrs vinho novo é suco de uva rsrs quero morar nessa viena...vou ver o album, bjo bjo

    ResponderExcluir
  5. Olha só de ler e ver essas imagens tb fiquei com vontade de estar ai..rsrsr, deve ser um lugar que vai deixar saudades nê.

    Bjs...Janini

    ResponderExcluir
  6. Mudando não quero mais morar na casa de banhos quero morar no Palácio Belvedere...rsrs
    Tô amando as fotos...sempre tive curiosidade de conhecer essa parte do planeta...talvez um dia.

    Muita Luz e Paz!
    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Que belo relato do passeio. Eu não ando mais em rodas gigantes... mas é muito bonito de ver.
    Que prefeitura hein?!!
    Vc não gosta de espinafre?
    Bjos, Lú.

    ResponderExcluir

Deixe um recado, opinião ou sugestão, suas palavras são muito bem-vindas! Eu leio tudo! Prefiro responder por email, pois é mais rápido. Siga-me também pelo Facebook. Volte sempre!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Posts mais recentes: