quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Momento Poesia



Definitivo (Carlos Drummond de Andrade)
Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas, 
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram. 



Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que
gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um
verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento,perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional...

p.s. As fotos eu tirei no Museu do Louvre, em Paris.

6 comentários:

  1. Oi Patty querida, eu amo Carlos Drummond de Andrade e as tuas imagens são belissimas, beijos.

    ResponderExcluir
  2. Maravilhosa mensagem,Patty! um beijo,chica

    ResponderExcluir
  3. Que post magnífico!Amiga, vc é uma diva :),seus posts são de qualidade e elegância.Beijoss

    ResponderExcluir
  4. Oi... a arte é profunda ...tocante.

    Uma noite!

    ResponderExcluir
  5. Adorei! Sabe eu parei de sofrer por antecipação com muita frequencia....agora só sofro eventualmente...rsrs
    Por isso me considero alguem muuuuito feliz. Com momentos de tristezas. E saudades....tipo a saudade que tenho de Paris, as vezes me pega de jeito...mas confio que um dia irei conhece-la.

    Muita luz e paz

    ResponderExcluir
  6. Oi,Paty!
    Li com os meus olhos e com o meu coração... E achei tão profundo e bonito.
    É verdade,quantas vezes sofremos e nos angustiamos pelo "que poderia ter sido", e com isso deixamos de enxergar as novas oportunidades que a vida nos reserva? Quantas vezes,cegos por nossa ansiedade crônica, "decidimos" ser infelizes e desistimos de tantos sonhos bons?
    Por isso, minha amiga, sempre digo que somos todos, acima de tudo, "aprendizes do tempo". E só mesmo vivendo com penitude e consciência das nossas limitações humanas, poderemos nos perdoar por nossos erros, e achar forças para irmos sempre adiante.

    Beijo grande no teu coração!
    Teresa

    ResponderExcluir

Deixe um recado, opinião ou sugestão, suas palavras são muito bem-vindas! Eu leio tudo! Prefiro responder por email, pois é mais rápido. Siga-me também pelo Facebook. Volte sempre!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Posts mais recentes: