sábado, 9 de junho de 2012

Lidos: maio

Há tempos que não rola uma resenha por aqui, pois maio não foi um mês bom para leituras. Muitos livros começados, do que resultou muitos livros em andamento, para serem terminados em junho. Com muito esforço, consegui ler alguma coisa!


Estremecer parecia bom quando começou. Mas a mocinha é perfeita demais (todos os homens do livro ficam babando por ela) e os vilões são violentos demais. O livro é tão violento que chega a dar nojo. Provavelmente, vai render um filme.


É o segundo volume da série Interligados. Esse não teve jeito, depois que comecei, não pude largar. Aliás, ainda estou lendo. Nem terminei ainda, mas já estou recomendando, afinal, já estou quase no final. E estou carregando o livro por aí, para dizer que estou tentando terminar! Livro bom é assim, carregamos para tudo que é lado! Cheguei a sonhar com ele. Muito bom e não liguem para o rótulo de literatura jovem, a história é ótima!


Mas se você não curte mesmo, de jeito nenhum, compre e doe para o(a) adolescente que você tem em casa. O livro tem zumbis, vampiros, lobisomens, fadas, elfos, duendes, bruxas, de tudo um pouco, vale a pena! Aliás, se a história fosse centrada apenas no Aden Stone, cujo corpo abriga 4 almas além da sua, já seria interessante. 


O Ed Mort eu reli rapidinho, pois são contos rápidos e divertidos. A minha edição é velhinha, comprada em sebo. 


O Analista de Bagé não é para qualquer um. Eu vi que algumas pessoas no Skoob acharam as histórias muito infelizes. Bem, quem é muito sensível não pode ler ;) Elas não são politicamente corretas. Deve-se ler com muito bom humor, um bom humor gaudério, digamos assim. O Analista de Bagé não tem frescura e vai dizendo tudo o que pensa. Vou citar um exemplo:
— Mas tu também é um bagual. Tu não sabe que em mulher e cavalo novo não se mete a espora?

— Eu não meti a espora. Não é, meu bem?

— Não fala comigo!

— Mas essa aí tá mais nervosa que gato em dia de faxina.

— Ela tem um problema de carência afetiva...

— Eu não sou de muita frescura. Lá de onde eu venho, carência afetiva é falta de homem.

— Nós estamos justamente atravessando uma crise de relacionamento porque ela tem procurado experiências extraconjugais e...

— Epa. Opa. Quer dizer que a negra velha é que nem luva de maquinista? Tão folgada que qualquer um bota a mão?

— Nós somos pessoas modernas. Ela está tentando encontrar o verdadeiro eu, entende?

— Ela tá procurando o verdadeiro tu nos outros?

— O verdadeiro eu, não. O verdadeiro eu dela.

— Mas isto tá ficando mais enrolado que lingüiça de venda. Te deita no pelego.

— Eu?

— Ela. Tu espera na salinha.
Esse texto eu retirei daqui. Tem mais lá. 
Vamos ler?



p.s. Terminei Interligados, o meu 38º livro do ano. Estou atrasada nas metas de leitura, mas vou compensar nas férias.

5 comentários:

  1. Thanks yours visit my blog. Very nice winter foto this blog.

    Teuvo Finland

    ResponderExcluir
  2. Parabéns por gostar assim tanto de ler!
    Achei super interessante o tal analista...

    ResponderExcluir
  3. Nossa Patty vc já leu um bocado hein?!!
    Li o "Analista de Bagé" por indicação do meu Marido, gostei muito de algumas histórias, outras não... faz parte...
    Bjos, Lú.

    ResponderExcluir
  4. Adoro Luis Fernando Veríssimo ,qdo estava grávida acho que li todos os livros dele! Adoro essa acidez bem humorada!

    ResponderExcluir

Deixe um recado, opinião ou sugestão, suas palavras são muito bem-vindas! Eu leio tudo! Prefiro responder por email, pois é mais rápido. Siga-me também pelo Facebook. Volte sempre!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Posts mais recentes: